23 abril 2017

CONCERTO NA IGREJA DE SANTIAGO


Há quanto tempo não víamos entrar pessoas na Igreja de Santiago, pela porta principal?
Vimos hoje!
Iam assistir a um concerto:




Lá dentro já não havia lugares sentados. Fomos para o Coro alto e olhámos lá para baixo:



Passados poucos minutos entrou o Coro da Escola de Música Luís António Maldonado Rodrigues:



E logo a seguir a pequena Orquestra:



O programa:



Fizemos uma pequena gravação vídeo, UM EXCERTO DO kYRIE:

https://youtu.be/42Ktc5oVPhs

Repetimos o que já escrevemos noutro lugar:

Estão de parabéns a Paróquia de Torres Vedras, com seu pároco, Padre Daniel; a Câmara Municipal que colaborou e vai continuar a empenhar-se na recuperação da Igreja; os torrienses que podem contar a partir de agora com mais um espaço que tem condições acústicas excepcionais; e a Associação do Património de Torres Vedras que, ao longo de muitos anos, tem pugnado pela reabilitação daquele templo.


18 abril 2017

DIA INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS








Ao contrário de anos anteriores, em 2017 a nossa Associação não lançou uma iniciativa própria.  Percebemos o alcance destes "dias" - tanto mais quanto, para nós, todos os dias são "dos Monumentos e Sítios" e para eles trabalhamos ao longo do ano.
Por vezes, é a oportunidade ou a disponibilidade que não se coadunam com estas marcações oficiais - e foi o que aconteceu este ano.

Há um programa oficial da Direcção Geral do Património Cultural que pode ser visto aqui:

http://www.patrimoniocultural.gov.pt/pt/agenda/atividades-diversas/dia-internacional-dos-monumentos-e-sitios-2017-convite-participacao/

Recordamos que a Câmara Municipal de Torres Vedras tem um programa próprio e é para ele que chamamos a atenção de todos quantos se interessam pelas questões do Património em Torres Vedras. Pode ser visto aqui:

http://www.cm-tvedras.pt/agenda/grupo/260/



07 abril 2017

IGREJA DE SANTIAGO - Boas notícias


Visitámos hoje a Igreja de Santiago, na companhia do Pároco de Torres Vedras, P. Daniel Henriques.
Agradável surpresa. O templo foi liberto das divisórias e mobílias que lá estavam e que serviam para criar espaços de reuniões e catequese. Ultimamente até era depósito de víveres da Cruz Vermelha.
O Pároco entende - e muito bem - que o templo tem uma dignidade e uma História que não são compatíveis com os usos que lhe estavam a ser dados. Por isso, tem procurado que aquele espaço seja recuperado e devolvido a usos mais condignos. Embora não se preveja que volte a ser lugar de culto religioso - pese embora não ter sido nunca dessacralizado - considera desejável que recupere a expressividade patrimonial. Expurgado de elementos estranhos à sua essência,  aquele templo poderá constituir-se como uma nova referência no Centro Histórico, apta a acolher actividades culturais como palestras ou concertos musicais.
Há ali, ainda, muito trabalho a fazer: substituir o pavimento, arranjar as paredes, recuperar os altares, fazer regressar algumas peças escultóricas, restaurar os retábulos e o cadeiral do coro alto, datado de 1634. A seu tempo se conseguirá.
A Direcção da Associação do Património de Torres Vedras saúda vivamente estas boas notícias e está disponível para colaborar no que lhe for possível.


São visíveis as diferenças

O sóbrio e bonito cadeiral seiscentista necessita de restauro urgente:





Recorde-se que na capela - mor desta igreja há dois belíssimos painéis de azulejos do séc. XVIII, atribuídos ao Mestre PMP, nos quais são representados os dois símbolos dos peregrinos de Santiago de Compostela: a cruz de Santiago e o chapéu mais o bordão e a concha dos romeiros. Um e outro são enquadrados por um sumptuoso emolduramento decorativo e pontuados por pequenas referências à vida quotidiana.
Veja-se:












Recordamos as duas páginas LUGAR ONDE, no Badaladas, que abordaram a Igreja de Santiago:
(Clicar para aumentar)






16 novembro 2016

"VILA VEDRA"


Luís Filipe Rodrigues, da Direcção da Associação para a Defesa Divulgação do Património Cultural de Torres Vedras, acaba de publicar VILA VEDRA.
É um livro de poemas e de fotos em que o tema central é Torres Vedras.
Para melhor informação, veja-se aqui:

https://torresvedrasweb.pt/vila-vedra-de-luis-filipe-rodrigues-e-uma-obra-com-que-os-torreenses-se-vao-identificar/




22 outubro 2016

POR MONTES E VALES


Em Pero Negro, perto do edifício onde esteve o Quartel General de Wellington


Por montes e vales, fez-se hoje o "passeio cultural" organizado pela Casa da Cultura da Ponte do Rol com a colaboração da Associação para a Defesa e Divulgação do Património Cultural de Torres Vedras. A ideia era passar por lugares especiais das Linhas de TV, evocativos dos generais que comandaram forças aliadas na Guerra Peninsular: os quartéis generais de Wellington, Spencer e Beresford; e os fortes da Enxara junto dos quais acamparam os batalhões espanhóis comandados pelo General Pedro Caro y Sureda, Marquês de La Romana.
Foram também visitados os Fortes do Alqueidão e de S. Vicente.

O próximo passeio "Por montes e vales" será no dia 1 de Dezembro ao Lar de Veteranos Militares de Runa (C. A. S. Runa). Inscrições abertas nos Postos de Turismo de Torres Vedras e Santa Cruz.

03 outubro 2016

PASSEIO CULTURAL - ROTA DOS GENERAIS | 22 OUTUBRO 2016



DIA 22 DE OUTUBRO - 14:30 h. / 18:30 h.
( ou 23:30 h. caso opte por jantar)

A Casa da Cultura em parceria com a Associação para a Defesa e Divulgação do Património Cultural de Torres Vedras realiza um PASSEIO CULTURAL com visita a alguns espaços memoráveis da Guerra Peninsular e da 3ª Invasão Francesa.

 Não se trata apenas de uma evocação histórica. É um bonito passeio por algumas das zonas paisagísticas mais bonitas dos concelhos de Torres Vedras e Sobral de Monte Agraço com a possibilidade - para quem quiser acabar em beleza - de saborear o "jantar dos Generais" no restaurante Moinho do Paul.

Inscrições até 21 de Outubro:

Só passeio: 5€
Jantar: 18,50 €

Posto de Turismo de Torres Vedras
Posto de Turismo de Santa Cruz
Contactos: 961 847 335  |  916 785 555








14 julho 2016

REUNIÃO DO ICOM - CONSELHO INTERNACIONAL DOS MUSEUS







Reproduzimos aqui o comunicado do Comité Nacional do ICOM, a mais importante instância internacional relacionada com os Museus e a prática museológica:

Realizou-se, entre os passados dias 3 a 9 do corrente mês [JULHO, 2016], a 24ª Conferência Geral do ICOM em Milão, Itália. Esta conferência que teve como mote "Museus e Paisagens Culturais" teve a participação de mais de 3000 delegados de países de todos os continentes, representando comités nacionais e acompanhando as reuniões dos diferentes comités internacionais do ICOM. 
Este ano a delegação portuguesa, reportamos com muito agrado, foi muito significativa. Além da representação oficial do Comité Nacional do ICOM, chefiada pelo nosso Presidente José Alberto Carvalho, acompanhado pela Joana Sousa Monteiro, pelo Mário Antas e pela Dália Paulo, contamos aproximadamente duas dezenas de profissionais de museus portugueses que marcaram presença em Milão para esta importante reunião trienal. 

No entanto, a presença portuguesa nesta conferência geral do ICOM reveste-se de especial importância pela relevância que alguns colegas assumiram no âmbito dos trabalhos de diversos comités internacionais. Assim, para além da já noticiadaeleição do nosso colega e ex-presidente, Luís Raposo, como Presidente da Aliança Regional ICOM Europa, tivemos também os seguintes membros do ICOM Portugal eleitos para cargos nas direcções dos respectivos comités internacionais:

Joana Sousa Monteiro: Presidente do CAMOC( COMITÉ INTERNACIONAL
PARA AS COLECÇÕES E ACTIVIDADES DOS MUSEUS DE CIDADES)

Marta Lourenço: Presidente do UMAC (Comitê Internacional de Museus e Coleções Universitários)

Mário Antas: Membro da direcção do CECA (COMITÉ INTERNACIONAL DO ICOM PARA A EDUCAÇÃO E ACÇÃO CULTURAL) e Coordenador Regional para a Europa;

Elsa Rodrigues: Membro da direcção do DEMHIST (COMISSÃO INTERNACIONAL PARA AS CASAS-MUSEU)

 Alexandre Matos: Membro da direcção do CIDOC. (COMITÉ INTERNACIONAL DO ICOM PARA A DOCUMENTAÇÃO)

Também em Milão, em Reunião do European Museum Forum (EMF)no dia 8 de Julho, foi nomeado para Presidente do Júri do Prémio Museu Europeu do Anoe Prémio Museu Conselho da Europa, o nosso colega e membro da direcção do ICOM Portugal, José Gameiro, que se manterá neste importante cargo até 2018.

Para o ICOM Portugal é um motivo de orgulho e satisfação a eleição e nomeação de todos os nossos colegas. Esta eleição representa o excelente trabalho que tem sido feito em Portugal e nos museus portugueses no âmbito da museologia e também é um merecido prémio para o excelente trabalho que tem sido desenvolvido pelos colegas agora eleitos nas suas carreiras profissionais e académicas.
A todos o ICOM Portugal deseja o maior sucesso nas funções que agora assumem. O seu exemplo será certamente a forma ideal para motivar novos profissionais e, esperamos, será um contributo importante para a museologia portuguesa.


29 maio 2016

O CASTRO DO ZAMBUJAL - UMA REFLEXÃO



Foi inaugurada em 27 de Maio passado a Exposição sobre os 50 anos de explorações arqueológicas no Castro do Zambujal, no Museu Municipal Leonel Trindade de Torres Vedras, a qual vai estar patente ao público até final de Junho de 2017. É uma bela mostra do valioso trabalho realizado pelo Instituto Arqueológico Alemão em parceria com o Município de Torres Vedras ao longo de meio século. 
O riquíssimo espólio daquele arqueossítio, à guarda do Museu Municipal, pode agora ser observado detalhadamente. Quanto ao Castro, situado a cerca de 3 km de T. Vedras, continua à espera de uma intervenção especializada com o objectivo de preservar as estruturas pétreas e possibilitar aos visitantes uma observação cómoda, sem perigo de quedas nem de destruição do que estão a observar.
Na inauguração da Exposição, a Srª Vereadora Ana Umbelino referiu-se à concretização dessa intervenção. Ficamos na expectativa, cientes de que esse é um trabalho urgente.
Repare-se que, há cerca de uma semana, o Serviço Educativo do Museu Municipal - que é, aliás, credor do nosso aplauso pelo seu programa de actividades ao longo do ano - organizou uma visita ao Castro do Zambujal. As fotos falam por si pois exprimem bem o que acima dissemos:








A este propósito será oportuno ler o trabalho que encontrámos no blogue ESTUDOS DO PATRIMÓNIO. (clicar) Para além dos dados sobre o Castro do Zambujal, aponta, no final, algumas sugestões para valorização daquele arqueossítio. Entre elas, a construção de uma plataforma de observação, em madeira de pinho tratado.

09 abril 2016

PRESTAR CONTAS



Conforme anunciámos, realizou-se no dia 8 de Abril a nossa Assembleia Geral Ordinária.
Hoje publicamos os dois documentos que foram aprovados.


RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 
ANO 2015

A Direcção da ADDPCTV teve presente na sua actividade ao longo do ano de 2015  os seguintes princípios:   
1.      Unificar a sua acção em torno do conceito de PATRIMÓNIOS e de três linhas orientadoras da sua concretização: ESTUDO E PRESERVAÇÃO / DIVULGAÇÃO / INTERVENÇÃO
2.      Renovar a base social de apoio da Associação, procurando novos colaboradores e novos públicos.
3.      Contribuir para a dinamização do espaço FORUM onde se situa a sua sede social.
4.      Cooperar com as autarquias e outras associações na valorização e divulgação do nosso Património.

Mantivemos um conjunto regular de actividades ao longo do ano com maior ou menor impacto público de acordo com as características de cada uma. Salientamos a quantidade e a diversidade de intervenções escritas com textos originais publicados no Badaladas, no Boletim da Freguesia de Santa Maria, S. Pedro e Matacães e no Mila Gaipa - jornal do Cenro Histórico, criado em 2014 e de cujo corpo redactorial fazemos parte.

De referir ainda que, para além das actividades enunciadas no Quadro 1, foram desenvolvidas outras ao longo do tempo cuja característica básica é o facto de se prolongarem sem data definida. A saber:

•Reoganização do Arquivo da Associação;
• contactos frequentes com serviços camarários e outros para preparação de actividades
   ou recolha de informações;
• visitas a lugares e/ou monumentos, para aprofundar conhecimento sobre factos que
   nos foram indicados;
• preparação de visitas guiadas com reconhecimento prévio dos locais, recolha e
   sistematização de dados;
• múltiplos contactos com colaboradores da rubrica Patrimónios, no Badaladas;
• presença constante e regular nos blogues e no Facebook.

                                                 
ACTIVIDADES EM 2015


JANEIRO

 Boletim nº 6 da Freguesia de St. Maria, S. Pedro e Matacães |Tema: Forte S. Vicente
16
PATRIMÓNIOS no Badaladas: Francisco Ant.Silva - I Parte
FEVEREIRO

Colaboração no MILA GAIPA nº 5
6
PATRIMÓNIOS no Badaladas: Francisco Ant.Silva – II Parte
7
O BARRETE nº 19 – Participação no Carnaval de TV
20
LUGAR ONDE (Badaladas): Indústria torriense
27
PATRIMÓNIOS no Badaladas: Sobre o Choupal
MARÇO
12
Análise ao Plano de Urbanização de Torres Vedras, no Arquivo Municipal
13
Estudo no terreno sobre o Plano de Urbanização de Torres Vedras
17
Colaboração com Esc. S. Gonçalo: a toponímia torriense
19
Idem, com outra Turma
20
PATRIMÓNIOS no Badaladas: Sobre o Choupal
31
Visita guiada à Igreja de A dos Cunhados e Pró-Memória com Clube Sénior da Câm Mun. TV
ABRIL

Boletim nº 7 das Freguesias |Tema: Tholos do Barro

Colaboração no MILA GAIPA nº 6
18
Dia Intern. Monumentos e Sítios: Igreja de Santiago
10
PATRIMÓNIOS no Badaladas: Sobre Amilcar Guerreiro I
29
Visita guiada ao CAS Runa | Clube Senior CMTV
MAIO
1
PATRIMÓNIOS no Badaladas: Sobre Amilcar Guerreiro II
19
Assembleia Geral Eleitoral da ADDPCTV
20
Visita guiada ao CAS Runa | Seniores TV
22
PATRIMÓNIOS no Badaladas: Firma Fonseca & Lisboa I
JUNHO

Colaboração no MILA GAIPA nº 7
12
 PATRIMÓNIOS no Badaladas: Firma Fonseca & Lisboa II
24
Visita guiada ao CAS Runa | Seniores TV
JULHO

Página no Bol. nº 8 da Freg. de St. Maria, S. Pedro e Matacães |Tema: Igr. E Conv. Graça

Colaboração no MILA GAIPA nº 7
3
PATRIMÓNIOS no Badaladas: A loja do Ti Gregório I
24
PATRIMÓNIOS no Badaladas: A loja do Ti Gregório II
AGOSTO

Colaboração no MILA GAIPA nº 8
14
PATRIMÓNIOS no Badaladas: A Casa Miranda I
21
Página LUGAR ONDE – Casa Hipólito
SETEMBRO
2
Realização de Acção de Formação (um dia) para o projecto ISA Património da CMTV
4
PATRIMÓNIOS no Badaladas: A Casa Miranda II
19
Jornadas Europeias do Património: Mostra Exposit. E Colóquio s/ Casa Hipólito
25
Página LUGAR ONDE (Badaladas)|Jornadas Europeias do Património
OUTUBRO

Página no Boletim nº 9 da Freg. de St. Maria, S. Pedro e Mat.| Tema: Azulejos Conv Graça

Colaboração no MILA GAIPA nº 9
2
PATRIMÓNIOS no Badaladas: O Armazém do Rocha Peixeiro I
13
Aula sobre Património na ESCO
16
PATRIMÓNIOS no Badaladas: Quem foi o Rocha Peixeiro II
23
Página LUGAR ONDE | S. Frei Gil e a Quinta das Lapas
NOVEMBRO
6
PATRIMÓNIOS no Badaladas: Entre Peniche e Torres…III
27
PATRIMÓNIOS no Badaladas: A cocheira do Rocha Peixeiro IV
DEZEMBRO

Colaboração no MILA GAIPA nº10
16
Formação ISA Património na Capela da Srª do Amial
Encontro com Vereador do Urbanismo, Arq. Bruno Ferreira
18
PATRIMÓNIOS no Badaladas: Os motores a gasogéneo… V

...................................................  //// ........................................


PLANO DE ACTIVIDADES para 2016

Este é o segundo e último ano do presente mandato. Propomo-nos guiar a nossa acção pelos princípios definidos na nossa candidatura de 2015 e dar continuidade ao conjunto de actividades que temos vindo a desenvolver. Assim:

1.      ESTUDO E PRESERVAÇÃO

. Concluir a organização do arquivo;

. Escrever a História da ADDPCTV como forma de aprofundar a sua identidade cultural
  e valorizar a sua participação na comunidade torriense desde 1979

. Concluir a primeira parte do Projecto MEMÓRIAS DO SÉCULO XX – baseada na
  recolha de testemunhos orais – e lançar uma nova abordagem centrada na
  reconstituição do tecido social, cultural e económico de Torres Vedras.


2.      DIVULGAÇÃO

. Colaborar regularmente nos órgãos de comunicação social regional, nomeadamente:
  dando continuidade à rubrica PATRIMÓNIOS, no BADALADAS, textos no jornal do     Centro Histórico MILA GAIPA e  no BOLETIM da freguesia de Santa Maria, S. Pedro e Matacães
. Organizar um passeio cultural temático ao Santuário de Nossa Senhora dos Milagres
. Prestar serviços: visitas guiadas e sessões AO ENCONTRO DA HISTÓRIA
. Participar, no âmbito de uma parceria formal, como agente cultural específico nos projectos da CMTV: ISA e OFICINAS DO SABER

. Marcar presença regular na internet com os blogues PATRIMÓNIOS
  (http://patrimoniodetorresvedras.blogspot.com) e LINHAS DE TORRES VEDRAS
  (http://linhasdetorres.blogspot.com ) ; Facebook com as páginas Património de
  Torres Vedras,  Associação do Património Cultural de Torres Vedras e Viva Patimónio.
. Manter abertas ou criar novas possibilidades de colaboração e de parcerias com
  escolas e outras entidades interessadas.


3.      INTERVENÇÃO

. Elaborar pareceres e apresentar propostas no âmbito das competências legalmente
  reconhecidas às associações do património (Lei nº 107/2001, de 8 de Setembro)
. Participar em eventos e iniciativas locais que de algum modo se relacionem com os
  objectivos da Associação
. Comemorar o DIA INTERNACIONAL DE MONUMENTOS E SÍTIOS (18 Abril) e as
  JORNADAS EUROPEIAS DO PATRIMÓNIO (Setembro)

. Acompanhar o desenvolvimento do Plano de Reabilitação do Centro Histórico, face às  
  alterações que venha a registar, no sentido da conservação do carácter histórico/tradicional dos seus edifícios e do equilíbrio do seu ambiente urbano.
  Neste âmbito:
       - Propor a revisão do mesmo Plano tendo em conta, sobretudo, a vocação de duas     
         grandes zonas devolutas – os espaços da ex-fábrica Hipólito e do Sporting Clube de 
         Torres.
       - Questionar e debater o futuro da Igreja de Santiago, quanto a possíveis novas 
         funções  (envolvendo a Paróquia, a CMTV e a comunidade).
       - Questionar a CMTV quanto à identificação dos vestígios do Paço do Patim.
       - Idem, sobre a pertinência da criação de um Centro Interpretativo da Comunidade 
         Judaica, a instalar numa casa do bairro do Castelo, face a uma ausência de política 
         museológica geral.
 . Questionar e debater a actual situação do Museu Municipal e do seu importante espólio,
   designadamente em função dos novos espaços de musealização anunciados.

Para além desta sistematização propomos ainda:

               . Actualizar a lista de sócios e adoptar um modo expedito de recepção de quotas.
               . Tendo em conta os mais de trinta anos de vigência dos actuais estatutos, 
                 realizar uma Assembleia Geral Extraordinária com a finalidade de actualizar a 
                 localização da sede social e proceder às alterações estatutárias que se revelem 
                 mais adequadas.
           . Formalizar modos de actuação da Associação em torno da elaboração de 
             projectos escritos com vista à sua apresentação a entidades externas que possam 
             contribuir para a sua concretização.
          . Realizar sessões abertas, em locais a designar, com vista à sensibilização e 
            captação de novos públicos e colaboradores. 

Nomeadamente, promover sessões públicas de debate sobre questões específicas da nossa cidade: porquê uma nova Biblioteca Municipal; que uso dos espaços urbanos; ponto da situação quanto ao programa Torres ao Centro; qual o programa de recuperação das antigas instalações do IVV - necessidade de ouvir os cidadãos.

. Retomar a edição do CD  sobre Torres Vedras bem como a publicação de “
  Electricidade Torres Vedras” -  programada em 2012, aquando da comemoração 
  do Centenário da electricidade no nosso concelho, por iniciativa da nossa 
  Associação,
              
Torres Vedras, 8 / Abril / 2016
A DIRECÇÃO:
Joaquim Moedas Duarte
José Pedro Sobreiro
Lúis Filipe Rodrigues
Pedro Fiéis
Carlos Cunha